Tenho escutado essa frase de muitos profissionais da área de marketing e comunicação ultimamente. Confesso também que eu já a disse várias vezes. Em meio a tantas certezas, onde todo mundo sabe exatamente o que os outros devem fazer, onde sempre alguém tem alguma solução, com tantas novidades surgindo a todo momento e sem tempo a perder, a nossa vida está cada dia mais atribulada e confusa.

Paralelo a isso, nos deparamos com muitas situações desagradáveis que nos sugam tempo e energia, as quais precisamos aprender a contornar e a não deixar influenciar negativamente, como “não gostei da cor da blusa da menina”, “não adianta veicular na rádio porque ninguém mais ouve”, “postei uma foto do meu produto no Facebook, mas não deu retorno”, “você mandou a pauta para o jornal X, mas eu queria o Y”, e assim por diante.

Com este post, espero ajudar dando algumas dicas para contornar a situação e não se expor muito (embora quem trabalhe nessa área saiba que se expor faz parte), quando passar por uma situação dessas: 😉

1 – Quando o profissional faz um trabalho decente e sério em marketing e comunicação, deve estar preparado para entender que não é o seu gosto pessoal que deve prevalecer, mas sim os hábitos de consumo do seu target, ok?! Pois bem, isso é o que nós sabemos, mas quem não é da área demora a entender, então, tenha paciência e procure explicar tecnicamente, sempre que possível.

2 – É importantíssimo praticar o desapego das opiniões consolidadas e verdades absolutas, e lembrar que flexibilidade é fundamental nessa área. Se você não gosta do estilo da campanha, mas sabe que o público-alvo vai curtir, relaxe e deixe rolar, pois o seu gosto pessoal não é muito relevante nesse momento.

3 – O profissional deve saber ouvir, ouvir, ouvir e quando for o momento adequado, expor seu posicionamento e explicar o porquê não será legal mudar a cor da blusa da menina, e, principalmente, argumentar que alguém estudou e se profissionalizou para optar pela cor apresentada.

4 – Tente fazer com que as pessoas entendam que trabalhar de forma colaborativa e participativa é saber congregar as competências de todos os envolvidos na busca por melhores resultados, e não que todo mundo pode opinar em tudo, de qualquer jeito. Trabalho colaborativo dá muito certo quando cada um sabe o seu momento de falar e o seu momento de se calar.

5 – Cuide da qualidade da vida que você leva. Lembre-se que tudo o que é demais, é veneno. Procure não levar as coisas pelo lado pessoal, divirta-se enquanto trabalha. Faça também coisas que lhe deem prazer e, se o dia estiver muito pesado, pare, respire e recomece, pois os melhores resultados podem surgir depois de um momento de caos.

Aproveitem as dicas e lembrem-se sempre: todas as áreas são complicadas e você vai se incomodar de qualquer jeito, então, escolha trabalhar na que além de problemas, lhe dê também prazer.

Boa semana! 🙂

Leia Também

Deixe seu comentário